8 de junho de 2016

3 animações fora do circuito DISNEY para assistir

Minha mãe sempre gostou muito de assistir filmes. Toda vez que ela visitava a vídeo locadora perto de casa, sempre me deixava trazer um ou dois filmes. Eu cresci assistindo muitas animações e filmes. Meu sonho de consumo era ter aquela parede do quarta forrada com os VHS da Disney. Não cheguei a ter essa coleção de fitas (só depois de adulta, quando comecei a estagiar), mas cansei de alugar os mesmos filmes inúmeras vezes. Lembro a minha mãe até falava “Aluga um diferente, Camila! Esse você já assistiu demais!”.
Tirei o último final de semana para rever essas animações e até fiquei surpresa “nossa, por que eu gostava de uns desenhos tão sérios assim?”, mas foi bom relembrar e recomendo para todos vocês.





A trama principal conta a história da Sra. Brisby, uma rata que acabou de ficar viúva e tenta a todo custo salvar o seu filho caçula de uma pneumonia. Mas, vida de mãe, como bem sabemos, é dureza. Além de ser a MAIOR TRETA pra arranjar esse remédio, o lugar onde ela mora está sob ameaça de desmoronamento, então ela teria que se mudar... Mas o filho tem que ficar de repouso absoluto caso contrário morre. ALÉM DISSO, tem toda uma explicação sobre o fato dos ratos serem inteligentes, a circunstancia do marido ter falecido e tudo mais. É uma animação com uma moral bem legal MESMO. Eu gostava desse desenho porque a Ratinha Valente tinha medo das situações, mas mesmo assim metia as caras e era bem curiosa. Amo/sou Sra. Brisby. Disponível na Netflix. 





É o Êxodo, né mores? Não tem muito o que explicar... Eu gostava muito das músicas, principalmente da parte em que Moisés chega na aldeia e Jetro começa a cantar uma música falando que as coisas em nossa vida tem um propósito e que não devemos julgar uns aos outros. EU SEMPRE CHORO! Esse filme também está disponível na Netflix. 




Essa era a capa do VSH que eu alugava! 

Esse é o filme mais obscuro e acredito que muitos de vocês desconheçam. Sinceramente, nem eu sei como esse VSH foi parar naquela locadora pequenininha aqui em Pirituba, mas sou eternamente grata. De Volta a Melonia é uma animação sueca (vejam só vocês!) baseada na peça “A Tempestade” de Shakespeare. COMO ASSIM, SHAKESPEARE???????? Pois é, fiquei surpresa também quando assisti agora depois de adulta. Não fazia menor ideia que era uma adaptação de Shakespeare!
A história começa em um barco que é atingido por uma tempestade. O barco carrega uma caixa enorme com uma carga que estão levando para Plutônia. Dentro desta caixa, tem um menino chamado Ferdinand que está fugindo da ilha de Plutônia. A tempestade atinge esse barco levando o menino náufrago para a maravilhosa ilha de Melonia. Lá ele conhece Próspero (um mago muito poderoso) e sua filha Miranda (amooooooooo). Descobrimos qual foi a motivação de Ferdinand fugir da ilha (a parte que mais me chocava quando era criança) e a história se desenrola a partir daí. É um desenho com ritmo devagar e traços diferentes do que estamos acostumados, mas a mensagem é muito bonita mesmo, conteúdo reflexivo pra gente pensar de verdade. Tem uma parte muito bonita relacionada à Miranda, com referencia aos pássaros/liberdade. Quando era criança assisti uma cópia dublada, essa que encontrei para baixar é no áudio original e a legenda tem um ou dois palavrões, o que achei bem curioso. Se vocês puderem baixar e assistir, sério, façam isso! É diferente e tocante mesmo. Fiz o download do filme através desse link aqui

Gostaria de deixar uma menção honrosa para “Labirinto – A magia do tempo”, não é animação, mas aluguei tanto quanto esses outros (senão mais) e certeza que já falei MILHÕES DE VEZES DESSE FILME AQUI NO BLOG E NINGUÉM AGUENTA MAIS. Porém David Bowie! E tem na Netflix! 

Essa era a capa do VSH na época. 


Basicamente esses filmes construíram meu caráter. Assisti até gastar a fita do VSH (perguntem pra minha mãe haha) e foi bom revisitá-los. Fiquei orgulhosa da criança que eu fui, sabe? Posso sentir orgulho da pequena Camila com seus seis/sete anos de idade? 
Assista se ficou curioso (vale a pena!) e depois comenta comigo se gostou ou não. Se quiser me contar quais foram os filmes que você viu até enjoar quando era criança, vou adorar saber também. 

Um comentário:

Odonir Oliveira disse...

Bacana, resenhar filmes, desenhos, após anos e anos. As crianças, em geral, têm uma compreensão diferente da dos adultos, talvez por isso você os tenha achado, agora, sérios demais para uma criança ter gostado. O canal de absorção da criança é outro. Também há um aspecto a ser considerado quanto a repetições:os nossos antepassados também pediam para que seus pais contassem as mesmas histórias, durante anos. É quase como uma necessidade de reificar o que já se conhece e se tem certeza de que se gosta. Os gregos, iam assistir às tragédias, nos festivais de teatro, sabendo-as de cor, chegavam a declamar falas de sua personagens, junto com elas. As tragédias também eram repetidas 'ad eternun", digamos assim. Gostei do que li.Beijo.